top of page
  • Foto do escritorCláudia Rolim

Rodrigo Areias vai de Portugal ao Brasil para ser jurado na Mostra SP

Um dos mais importantes e prestigiados realizadores de Portugal, Rodrigo Areias chega a São Paulo no dia 25 de outubro e fica até 2 de novembro, para participar da 46.ª Mostra Internacional de Cinema em São Paulo como um dos jurados. E não vem só - os documentários que produziu, “Kinorama” (Edgar Pêra), “Objectos de Luz” (Acácio de Almeida e Marie Carré) e “Distopia” (Tiago Afonso), estarão colocando o sotaque português na programação do festival, dentro do conteúdo não-competitivo.

Rodrigo Areias



Kinorama, de Edgar Pêra

Para Areias, da produtora Bando à Parte, é sempre importante estar no Brasil e fazer parte do evento - desta vez conseguiu participar como jurado, já que em outras oportunidades seus filmes estavam participando da mostra competitiva do festival. "É sempre um grande orgulho e prazer estar na Mostra de São Paulo. Não só enquanto diretor - os meus oito longas estiveram presentes, primeiro em competição, e depois como diretor convidado a apresentar os filmes -, mas também como produtor, já que temos filmes convidados todos os anos. É para nós um festival muito importante, não só porque é a nossa entrada privilegiada no mercado brasileiro de distribuição cinematográfica, mas também dada a relação entre Portugal e Brasil, e a forte cooperação e coprodução entre os dois países. Coprodução que tem estado interrompida face às alterações de política cultural no passado recente no Brasil, mas que acredito que mudará em breve. E como tal, estarei sempre interessado em continuar a coproduzir com o Brasil”, diz.


Como produtor e diretor tem ao longo da carreira mais de 25 filmes, entre documentários e ficção. Um dos aclamados filmes do ano passado, “Listen”, longa de drama dirigido por Ana Rita Rocha e produzido pela Bando à Parte, foi vencedor de quatro prémios na 77.ª edição do Festival de Veneza (2020) - o filme venceu o prémio ‘Leão de Futuro’.


Listen

Sobre o momento atual, Areias está debruçado nos projetos da sua produtora, a Bando à Parte, inclusive com produção e coprodução com o Brasil. “Estamos trabalhando no filme ´Cinco da Tarde´, de Eduardo Nunes, um grande amigo e um grande cineasta Brasileiro. Os meus 9º e 10º longas como diretor estão em pós-produção neste momento e irão estrear no próximo ano, são “O Pior Homem de Londres”, produzido por Paulo Branco, e “A Pedra Sonha dar Flor”, a partir da obra de Raul Brandão. Iremos ainda estrear os novos filmes de Edgar Pêra e Artur Serra Araújo, e estamos a produzir os novos filmes de Latifa Said, Angelo Torres, Jorge Quintela, Lois Patiño e Matias Piñeiro”.

Sobre a Mostra


A 46ª edição da Mostra Internacional de Cinema de São Paulo teve início na quinta-feira (20), em formato presencial, com um catálogo de 223 títulos produzidos em diferentes partes do planeta. Desses, 206 serão exibidos em salas de cinema e 17 em plataformas de streaming.


Programação completa disponível em 46.mostra.org/

Comments


bottom of page