top of page
  • Foto do escritorCláudia Rolim

MPB4 – comemora seis décadas com novo álbum e show no Teatro Riachuelo

Julho é mês de comemorações para o MPB4, que completa 60 anos de serviços prestados à MPB –sigla que o próprio quarteto criou e que acabou ganhando vida própria. No dia 05, chegou as plataformas digitais o álbum “60 anos de MPB”, lançado pela Biscoito Fino. Dedicado ao Quarteto em Cy e aos fundadores do grupo Magro e Ruy Faria, o trabalho conta com participações luxuosas de Alceu Valença, Chico Buarque, Dori Caymmi, Edu Lobo, Francis Hime, Guinga, Ivan Lins, João Bosco, Kleiton & Kledir, Milton Nascimento, Paulinho da Viola e Toquinho, e hoje, dia 10, o quarteto se apresenta no Teatro Riachuelo, no Rio de Janeiro, às 20hs.


O show tem direção do jornalista Hugo Sukman, que tentou resumir os 60 anos de carreira do quarteto. “É impossível resumir a história do MPB-4, tão vasta e do tamanho exato da música brasileira em sua fase mais rica; mas, no show, nós tentamos contar essa história por meio da ideia contida na música inicial de Milton Nascimento e Fernando Brant: ‘Notícias do Brasil’. A cada canção do espetáculo e de sua história, o MPB-4 faz isso: traz, boas ou más, notícias do Brasil”, diz Sukman, já dando um spoiler da abertura do show no Teatro Riachuelo.


O show também terá convidados que fazem parte da história do MPB4: Dori Caymmi, que fez arranjos para o álbum comemorativo e gravou com o grupo na faixa “O cantador”, parceria dele com Nelson Motta; Sonya Ferreira, que fez parte do Quarteto em Cy; João e Chico Faria, filhos dos saudosos Ruy e Cynara, que fez parte do Quarteto em Cy desde o início, em 1964, até sua morte, ano passado.


Sukman revela que, no espetáculo, estará a primeira música gravada pelo MPB-4 e as mais recentes também, como “Que tal um samba?”, de Chico Buarque. “Descobri, nesse arco de 60 anos, como o MPB-4 evoluiu. E como é exatamente o mesmo”, define o diretor.


No roteiro do show, há canções que estão no novo álbum, como "Velas içadas" (Ivan Lins e Vitor Martins), "Paz e amor" (Kleiton Ramil e Kledir Ramil), "Angélica" (Miltinho e Chico Buarque) e "O cantador" (Dori Caymmi e Nelson Motta). E é claro que não vão faltar clássicos do repertório do MPB4, caso de "Amigo é pra essas coisas" (Silvio da Silva Júnior e Aldir Blanc) e "Roda viva" (Chico Buarque).


É inegável a importância do MPB4 na música brasileira e o diretor do show define o papel do grupo no nosso cancioneiro em poucas palavras: “o MPB-4 consagrou o nome pelo qual a música brasileira ficou conhecida. Carregou essa música no nome e na carne. Ouso definir MPB como a música que o MPB-4 canta”.       

                                      

Ao público, resta agradecer e aplaudir.

 

MPB4 – 60 ANOS DE MPB

Foto: Leo Aversa


O MPB4 lançou no dia 5 de julho, o álbum “60 anos de MPB”, em que comemora seis décadas de carreira e sucessos de público e crítica. Gravado quase todo entre 15 de janeiro e 9 de fevereiro de 2024 no estúdio da Biscoito Fino no Rio de Janeiro, o álbum contou com as participações luxuosas de Alceu Valença, Chico Buarque, Dori Caymmi, Edu Lobo, Francis Hime, Guinga, Ivan Lins, João Bosco, Kleiton & Kledir, Milton Nascimento, Paulinho da Viola e Toquinho. Somente as vozes de Alceu Valença, Milton Nascimento e Toquinho foram gravadas em outros estúdios.


Este trabalho do MPB4 – que tenta resumir os 60 anos de serviços prestados à MPB, sigla que o próprio quarteto criou e que acabou ganhando vida própria – é dedicado às companheiras de palco e de vida do Quarteto em Cy, assim como também a Magro e Ruy, integrantes da primeira formação do MPB4 ao lado de Miltinho e Aquiles, que agora têm Dalmo Medeiros e Paulo Malaguti Pauleira como parceiros.


“Me senti muito honrado com o convite para substituir Ruy Faria em 2004, quando ele optou por deixar o grupo. Integrar o MPB4, considerado o maior grupo vocal no Brasil e no exterior e de tanta importância na música popular brasileira, significa participar de uma história vitoriosa”, diz Dalmo Medeiros.


Já Paulo Malaguti Pauleira revela que se aproximou do MPB4 jogando “peladas” aos domingos e que, nos anos 90, foi convocado para fazer um arranjo num disco que cantavam Djavan e Ivan Lins. “O convite para integrar o grupo foi muito emocionante por causa do falecimento do Magro, um arranjador genial e realmente o cara que inventou o som do grupo”, revela Pauleira que já tinha uma boa relação com o Miltinho como músico e boleiro. “Aos poucos, fui me dando conta do amor e da admiração que o povo brasileiro dedica ao MPB4. Fui absorvendo o formato vocal que eles inventaram e tornaram imensamente popular. Ainda me emociono, depois de 12 anos de convívio, com a reação do público aos seus grandes sucessos. Fazer parte do MPB4 é um grande presente que a vida me deu”, derrama-se Pauleira.


E como os fundadores do grupo Aquiles e Miltinho resumem a carreira do MPB4?

“Em 60 anos, o MPB4 construiu uma carreira totalmente comprometida com a música brasileira e sempre ao lado da liberdade e da democracia. São seis décadas com algumas perdas, mas muitas parcerias, conquistas e alegrias”, exalta Miltinho. Já Aquiles diz que "resume esses 60 anos como a minha vida toda! Certeza do futuro conquistado a cada dia, a cada música cantada, a cada sorriso dado, a cada lágrima derramada".


Toda essa história, carregada de lutas e emoções, não vai parar nesses 60 anos, nem neste álbum. Seguimos olhando para o futuro, sem esquecer o passado e curtindo o presente, finaliza Miltinho.


O álbum “60 anos de MPB” faixa a faixa

1. Notícias do Brasil (Os pássaros trazem) (Milton Nascimento e Fernando Brant)

Participação especial de Milton Nascimento

2. O cantador (Dori Caymmi e Nelson Motta)

Participação especial de Dori Caymmi

3. Prêt-à-porter de tafetá (João Bosco e Aldir Blanc)

Participação especial de João Bosco

4. Caso encerrado (Toquinho e Paulinho da Viola)

Participação especial de Toquinho

5. Velas içadas (Ivan Lins e Vitor Martins)

Participação especial de Ivan Lins

6. Dança do corrupião (Edu Lobo e Paulo César Pinheiro)

Participação especial de Edu Lobo

7. Angélica (Miltinho e Chico Buarque)

Participação especial de Chico Buarque

8. Catavento e girassol (Guinga e Aldir Blanc)

Participação especial de Guinga

9. Coisas do mundo, minha nega (Paulinho da Viola)

Participação especial de Paulinho da Viola

10. Na primeira manhã (Alceu Valença)

Participação especial de Alceu Valença

11. Paz e amor (Kleiton Ramil e Kledir Ramil)

Participação especial de Kleiton & Kledir

12. Parceiros (Francis Hime e Milton Nascimento)

Participação especial de Francis Hime

 

Ficha técnica do álbum

O MPB4 é Aquiles Reis, Dalmo Medeiros, Miltinho e Paulo Malaguti Pauleira

Seleção de repertório: MPB4

Produção Musical: Miltinho e Paulo Malaguti Pauleira

Produção Executiva: Marcelo Cabanas

Assessoria de mídias digitais MPB4: Beto Feitosa

Assessoria de imprensa MPB4: Sheila Gomes

Capa: Gê Alves Pinto

Fotos de divulgação: Leo Aversa

Fotos dos bastidores da gravação do CD: Marcelo Cabanas


SERVIÇO DO SHOW :

Show “MPB4 - 60 anos de MPB”

Participações especiais de Dori Caymmi, Sonya Ferreira, João e Chico Faria

Dia : 10 de julho (quarta-feira), às 20h

Local: Teatro Riachuelo RJ

Rua do Passeio 40, Centro, Rio de Janeiro

Ingressos entre R$ 50 e R$ 160

 


댓글


bottom of page