top of page
  • Foto do escritorCláudia Rolim

Cinco diferentes autores para leitores diversos

Em 29 de Outubro de 1810, a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro foi fundada e, desde então, comemora-se o Dia Nacional do Livro nesta data. O incentivo à leitura é uma das ações que mais impactam a educação e esta é uma ótima oportunidade - também desculpa para os amantes dos livros - para mergulhar no universo da leitura – do suspense ao drama - e conhecer cinco autores nacionais distintos publicados por diferentes editoras.


O primeiro autor que apresento à vocês é a Bruna Maia, uma jornalista, cartunista, escritora e artista plástica brasileira, conhecida pelo livro em quadrinhos “Parece que Piorou”, pelo romance “Com todo o meu rancor” e pelo lançamento recente de “Não quero ter filhos: e ninguém tem nada com isso”, não-ficção que esmiúça o que está por trás da escolha (ou não) da maternidade.


Além disso, Bruna Maia é autora da página @dabrunamaia nas redes sociais. As desigualdades de gênero são o norte principal que busca abordar em suas obras. Vale conhecer sua mais recente obra literária publicada pela Editora Nacional.


Também apresento a Julia Maizman, uma autora jovem no mercado literário focada em escrever majoritariamente sobre sentimentos adolescentes. Até agora lançou dois livros como “NÃO Viver Um Romance Adolescente” e “Um caso sem futuro”, em processo de pré-venda.


No primeiro, a escritora conta sobre uma garota que nutre uma paixonite secreta pelo melhor amigo. O problema é quando ele arruma uma namorada do nada, e ela fica completamente sem chão. A personagem descobrirá na prática todos os erros que uma jovem desastrada pode cometer em busca do tão sonhado romance de Ensino Médio.


Já na obra em lançamento, publicada pela editora Naci, Julia fala sobre Melissa, que decide se mudar para o Rio de Janeiro de uma hora para outra. Em sua primeira noite na cidade, Mel acaba experimentando um suspeito "brownie mágico" que a transporta para o ano de 1973, décadas antes de sequer ter nascido.


A seguir vos apresento Mark Miller, um escritor de obras com protagonismo gay, apaixonado por thrillers adolescentes, café e romances LGBTQ+. Lançou seu primeiro livro em 2020 e possui em seu catálogo best-sellers como “Além Da Fronteira”, “Aquele Garoto”, “DANGEROUS”, ”Garotos Mortos Não Contam Segredos” e “Ninguém vai te ouvir gritar”, seu lançamento mais recente publicado pela Editora Naci. Mark Miller escreve para se conectar com leitores que compartilhem o mesmo desejo que ele, ou seja, o de ver mais representatividade nas obras que consomem.


Já agora trago para vocês, Pedro Ivo, um escritor, roteirista e artista de quadrinhos. Formado em Interpretação para Teatro e TV, que largou os palcos para se debruçar no universo do Cidadão Incomum, publicado pela Conrad Editora, que mescla super-heróis e terror nacional. Recentemente, lançou o volume 2 da história sobre o herói, e já tem outros planejados para o futuro.


Também é co-autor e ilustrador do livro “Entre Mundos”. Além de diversos trabalhos para o audiovisual, Pedro atende como storyteller em grandes projetos de games, tecnologia e inovação.


E finalizamos com Rafael Weschenfelder, médico formado pela USP, obcecado desde criança por histórias com reviravoltas engenhosas e finais-surpresa e, por isso mesmo, decidiu ser escritor para criar as suas histórias. Quando não está no hospital ou em frente às páginas do word, pode ser encontrado jogando videogame e assistindo a animes.


Desde 2018, produz conteúdo literário e incentiva a leitura no Instagram @rafaweschenfelder. Seu lançamento mais recente é “O mistério da casa incendiada”, publicado pela Naci, onde narra a história de um youtuber que descola uma semana de estadia na mansão onde os corpos do ex-candidato a prefeito Marcos Gonçalves, esposa e filha foram encontrados carbonizados sem explicação.


Depois de trazer dicas de cinco diferentes escritores cabe à você, apenas, escolher qual vai começar a ler primeiro !

Boa leitura !!

Comments


bottom of page