top of page
  • Foto do escritorCláudia Rolim

Roda de Samba na Mouraria

Atualizado: 11 de out. de 2022

Todo carioca (aquele sujeito que nasce no Rio e Janeiro) adora estar entre amigos e adora um bom samba, afinal, como diz a letra da música “quem não gosta de samba, bom sujeito não é “!


E pra fazer juz a letra do samba, um grupo de amigos voltados para a arte, a comunicação e a música reúne-se hoje no CANTINHO DO AZIZ, a partir das 19h, para uma autêntica Roda de Samba, com entrada livre. O Cantinho do Aziz situado na Mouraria, em LISBOA, é um restaurante africano, onde no passado era um espaço de reuniões políticas de representantes africanos e hoje recebe toda a gente de bom coração.


A ideia de realizar a “Roda de Samba Liberdade de Expressão” no Aziz é fruto dos encontros que acontecem semanalmente na casa da jornalista brasileira (e carioca, com muito orgulho !!) Lizzie Nassar. Há três anos e meio, Lizzie veio para Portugal em busca de qualidade de vida ! “Eu sou um pouco nômade, amo a minha cidade e o meu país, mas, adoro conhecer lugares, culturas diferentes e por conta disso já morei em muitos sítios, mas, Portugal tem uma qualidade de vida que me encanta e por isso optei por viver aqui”, conta a jornalista, produtora executiva e especialista em conteúdo audiovisual. ( http://lizzienassar.com.br/ )


Com tantos atributos é fácil fazer amigos e para Lizzie, brasileira nata e ligada a área da comunicação, se relacionar é muito importante assim como ampliar os horizontes e dar voz a tudo que vê na sociedade. E é exatamente esse o objetivo da Roda de Samba que acontece hoje, 02 de abril, em Mouraria, um dos mais tradicionais bairros da cidade de Lisboa.


A frente da Roda de Samba está o Grupo “As Vozes” que é composto por quatro músicos que forma uma roda intimista. O grupo começa a cantar e todos vão chegando e cantando junto. “É preciso haver uma Liberdade de Expressão seja na música, na informação e na vida. Recentemente vimos no Lollapalooza, o festival de música alternativa que acontece anualmente, o Presidente do Brasil tentando “calar a boca” da sociedade, mas ninguém pode calar ninguém e quando se tenta calar a a imprensa é o mesmo que está calando milhares de pessoas e não podemos deixar isso acontecer”, afirma a jornalista e idealizadora do evento.


A Roda de Samba “Liberdade de Expressão” que acontece hoje tem o intuito de dar voz a todos as pessoas que se sentem oprimidas, injustiçadas, indignadas com tudo que vem acontecendo no mundo atual. “Não pegamos em armas, usamos a música para nos exprimir, para dar voz a nossa Liberdade de Expressão. Somos intelectuais, músicos, artistas, jornalistas, amigos e acima de tudo cidadãos consciente dos nossos deveres e direitos em busca de um mundo melhor” , explica Lizzie.


Na noite de hoje o grupo de amigos e do público presente irá falar, conversar, conviver e, principalmente, cantar .”A ideia é mostrar que ninguém cala uma pessoa. Nesse momento, eu e 7 jornalistas estamos proibidos de receber pelo trabalho que realizamos recentemente e tivemos nossas matérias apagadas, excluídas e isso é inadmissível. Estamos lutando pelos nossos direitos e ninguém há de nos calar”, conta a jornalista.


A roda de Samba Liberdade de Expressão que traz para o Cantinho do Aziz o grupo de músicos “As Vozes” acontece hoje pela primeira vez mas a idéia é fazer esse evento se tornar frequente, afinal, quem não gosta de samba e de estar com amigos, não é mesmo ?

SERVIÇO:

Roda de Samba Liberdade de Expressão

Cantinho do AZIZ

Rua de São Lourenço, 5, 1100-530 Lisboa


MOURARIA

O nome Mouraria deve-se ao facto de D. Afonso Henriques, após a conquista de Lisboa, ter confinado uma zona da cidade para os muçulmanos. Foi neste bairro que permaneceram os mouros após a Reconquista Cristã.


Morou na Rua do Capelão, junto ao Beco dos Três Engenhos, Maria Severa Onofriana, primeira fadista portuguesa e expressão máxima do fado à época. Na casa em frente, nasceu já no século XX, aquele que foi considerado o "rei do fado da Mouraria", Fernando Maurício. A Rua do Capelão faz hoje parte da iconografia do fado. Mais acima, numa casa cor-de-rosa da Travessa dos Lagares, cresceu Mariza, a mais internacional fadista portuguesa contemporânea. Junto à casa, agora fechado ao público, localizava-se o restaurante Zalala, onde Mariza aprendeu a cantar o fado.


Depois da abertura ao público do Centro Comercial da Mouraria no Martim Moniz, o bairro tornou-se num local bastante movimentado e acolhedor. Actualmente, a Mouraria é considerado um dos bairros mais seguros da capital; é um ponto de encontro de gentes de diferentes culturas e, simultaneamente, um local que mantém vivas as suas antigas tradições populares, como se pode confirmar pela existência de várias casas de fado, bares, tabernas e colectividades culturais e desportivas a par de estabelecimentos comerciais de origem chinesa e indiana, entre outros.


A Mouraria é um bairro que após anos de esquecimento começou a ter obras de requalificação que o estão a tornar num dos pontos mais interessantes de Lisboa do ponto de vista turístico e cultural.


155 visualizações

Comentarios


bottom of page