top of page
  • Foto do escritorCláudia Rolim

Que tal conhecer Panamá, o paraíso dos cafés ?

O Viajando de Lá Pra Cá abre uma exceção pra falar sobre o Panamá e isso porque tanto o Brasil como Portugal amamos café e quem ama cafés e também adora desfrutar de destinos paradisíacos encontra no Panamá o destino ideal. O país istmo, que liga a América Central à América do Sul, permite o encontro entre os oceanos Atlântico e Pacífico, reunindo diversidade cultural, lazer, história e sabores únicos. O cultivo de café tem adicionado mais uma rota indispensável ao destino. Ver os grãos de perto, entender como funciona a colheita, presenciar o momento da torra e, no fim do passeio, tomar um café especial extraído pelo próprio produtor são os principais atrativos nas fazendas, agregando uma experiência gastronômica e sensorial aos turistas que visitam a região.


A cultura cafeeira no Panamá é focada na produção de cafés especiais - o que torna uma visita ao país com o roteiro do café incluso uma experiência realmente única. As opções são as mais diversas, indo desde a visita a regiões com grandes cafezais (inclusive com hospedagem em fazendas) até circuitos de cafeterias e combos de cafés mais passeios em contato direto com a natureza local.


“O turismo foi identificado como um pilar fundamental do desenvolvimento económico no Panamá, que permite o aumento e distribuição da riqueza da população panamenha através do crescimento da economia nacional, a geração de empregos; aumento da renda e do bem-estar dos panamenhos”, conta Fernando Fondevilla, CEO do Promtur, órgão que promove o turismo no país.


O país segue um Plano Sustentável e tem um grande respeito às comunidades indígenas locais Ngäbe e Buglé, fortemente envolvidas na indústria cafeeira. É no Panamá que também se encontra o icônico Geisha, conhecido como o café mais valioso e de maior qualidade do mundo.


TURISMO COM SABOR DE CAFÉ

O itinerário dos amantes de café no Panamá não pode deixar de fora a visita a Tierras Altas (localizado no sopé do vulcão Baru, o ponto mais alto do país, onde é produzido o Geisha); Boquete (a região mais antiga e conhecida do Panamá, onde a indústria do café começou no século 20 e hoje reúne o maior número de fazendas do ‘Circuito do Café’) e Renacimiento (a menor das três regiões, mas com fartas colheitas que são alimentadas pelo vulcão ativo nas proximidades).


Os turistas podem viver a experiência completa dos cafezais, por meio do Circuito do Café, desenvolvido pela Autoridade de Turismo do Panamá (ATP) e o Centro de Competitividade da Região Oeste (CECOMRO), com fazendas deslumbrantes em cada região que abrem as portas para receberem visitantes. Nas fazendas há opções de pernoite, degustações e passeios para ver a evolução do café que vai da plantação até à xícara.


As cidades panamenhas também oferecem cafeterias movimentadas, que podem ser encontrados em cada esquina da Cidade do Panamá e nas ruas de Boquete, servindo misturas locais e o famoso varietal Geisha. É possível também passear por diferentes locais para degustação e aproveitar os cafés do dia e da noite.


Para completar a agenda, os visitantes também podem explorar o Parque Internacional La Amistad, com mais de 600 espécies de pássaros; visitar os povos Ngäbe e Buglé ou caminhar pelo pico mais alto do Panamá, o Vulcão Baru, para testemunhar as vistas do Oceano Pacífico e do Mar do Caribe - sendo o único lugar no mundo onde é possível avistar dois oceanos.


Com tantos atrativos únicos, o país de apenas 75,5 mil metros quadrados recebeu 1,9 milhão de turistas em 2022. Número que ficou para trás, já que até o final deste ano, a Autoridade de Turismo do Panamá espera que 2,3 milhões de pessoas visitem o país para viver essa experiência incrível.

Conheça 3 fazendas de café que ofertam experiências turísticas diferenciadas

  • Finca Lerida (Boquete): O local foi a primeira fazenda a exportar o café panamenho à Alemanha, em 1929. Lá o visitante pode observar de perto todos os aspectos do processo de produção do café e ainda tem a possibilidade de pernoitar.



  • Finca Don Lara (Tierras Altas): Quem visita a fazenda faz um passeio guiado pelo proprietário pelas diversas plantações e tem a oportunidade de conhecer variedades de cafés disponíveis na região e, dependendo da época, pode participar da colheita na própria fazenda.


  • Finca Café Eleta (Renacimiento): Uma dica é fazer uma visita guiada à fazenda e saborear cafés especiais nas proximidades do Patrimônio Mundial da Humanidade, o Parque Internacional La Amistad (PILA), conhecido por sua rica e abundante biodiversidade.


Lembretes para os viajantes :

  • A melhor época para visitar as atividades relacionadas ao café é durante a época da colheita, que ocorre de dezembro a março;

  • Ao planejar sua viagem, considere verificar se há eventos ou festivais relacionados ao café no Panamá;

  • Mostrar respeito e compreensão pelas comunidades indígenas locais e pelo seu patrimônio cultural;

  • Apoiar práticas cafeeiras sustentáveis e iniciativas ecológicas na região.


9 visualizações

Comentarios


bottom of page