top of page
  • Foto do escritorCláudia Rolim

Mundaréu de Mim tem sessões extras

Mundaréu de Mim é um sucesso! A montagem é uma verdadeira ode à brasilidade e já foi vista por mais de 15 mil pessoas. Agora, em suas últimas semanas, o espetáculo musical inédito e 100% nacional ganha duas sessões extras aos sábados: nos dias 21 e 28 de outubro, o elenco também se apresenta às 15h. Dessa forma, Mundaréu de Mim fica em cartaz até o dia 29 de outubro, no Parque da Água Branca, zona oeste de São Paulo, com apresentações de sexta à domingo. Com temáticas comuns a todos nós, a montagem trata sobre amor, luto e saudade de uma maneira leve, sendo apresentada a céu aberto, com uma grandiosa estrutura, onde os atores ficam em cena o tempo todo.


Mundaréu de Mim se passa durante uma festa de Carnaval, comum a todos os brasileiros. Todo ano, durante todo o carnaval e na quarta-feira de cinzas, as pessoas que já partiram deste plano - mas não morreram, “viraram saudades”, como explica a montagem - podem voltar a caminhar entre os vivos, uma vez que na multidão e com fantasias não serão vistas.

É nesse curto período de tempo que a menina Graciela decide sair escondida da mãe para conhecer a festa mais famosa do Brasil. Por lá, ela esbarra em José, um homem que já “virou saudade” e que busca a ajuda de alguém ainda vivo para falar com uma pessoa do seu passado e explicar um mal entendido. Sem ingresso e se escondendo da mãe, que, ciente de sua ansiedade de ir até a avenida pular Carnaval, vai atrás dela, Graciela e José decidem se apoiar - ela, para conseguir entrar no evento; ele, para encontrar a pessoa de seu passado - acabam vivendo uma aventura capaz de redesenhar a história da vida dos dois do começo ao fim.

Na montagem, Graciela, uma menina doce e curiosa, cheia de vontades e anseios por grandes aventuras, é interpretada por Sara Chaves. Ela mora com sua mãe, Aurora, uma mulher forte e protetora, papel que ganha vida através de Cainã Naira, que sonha em ver sua filha tocando o negócio da família, o que não é correspondido por Graciela. Ano após ano ela nutre uma vontade de ir para a avenida conferir de pertinho a festa do Carnaval, porém sua mãe nunca permitiu.


Enquanto isso, Flávio Pacato dá vida a José, um homem simpático e engraçado que já “virou saudade” há algum tempo. Todos os anos, de acordo com a regra, ele pode assumir sua antiga forma de gente no carnaval e aproveita disso para tentar reencontrar uma pessoa específica de seu passado. É assim que o caminho dele e de Graciela acabam se cruzando e se transformando para sempre.

O espetáculo é apresentado por Ministério da Cultura, RICO, plataforma financeira e Instituto Brasileiro de Teatro e tem patrocínio RICO, plataforma financeira (@ricocomvc).

Mundaréu de Mim é pensado para ser um espetáculo completamente acessível e democratizado. Os ingressos serão gratuitos e não será necessário adquiri-los com antecedência. As sessões são liberadas para todos, mediante lotação. Além disso, a montagem conta com um intérprete de libras incorporado à montagem como um dos personagens em cena o tempo todo, um telão mostrando legendas das músicas para aqueles com deficiência auditiva e audiodescrição para aqueles com deficiência visual. O espaço ainda conta com locais reservados para PCDs, pessoas obesas e com mobilidade reduzida.

Tudo isso só é possível graças à estrutura gigantesca que será construída dentro da área hípica do Parque da Água Branca. Com capacidade para receber gratuitamente até 3 mil pessoas por sessão, o espetáculo conta com um cenário que lembra bastante um parque de diversões, com 22 metros de largura, montado a céu aberto e construído com ferro, madeira e cordas. Nele, os atores cantam, dançam e interagem com estruturas como redes, rampas, escorregadores e escadas, além de subirem em uma torre de 7 metros de altura. E, com tamanho impacto que a estrutura causa, áreas interativas e instagramáveis que remetem ao cenário foram colocadas ao redor do local da apresentação, para que o público possa brincar, tirar fotos e se sentir ainda mais dentro do espetáculo.


A montagem busca ainda trazer representatividade e, por isso, do texto à música, que mistura ritmos típicos brasileiros, como frevo e samba-enredo, é possível ver uma parte diferente de cada local do Brasil. São, ao todo, 18 atores, de diferentes regiões, como Espírito Santo, Bahia, Sergipe, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro e Minas Gerais que integram o elenco. São eles: Sara Chaves, Flávio Pacato, Vitor Rocha, Luiza Porto, Gabriel Vicente, Castilho, Larissa Noel, Marina Mathey, Wesley Leal, Lakís Farias, Nana Nunes, Leandro Vieira, Cainã Naira, Tassia Cabanas, Paulinho Ramos, Juliana Linhares, Danilo Canindé, Natasha Jascalevich.


Além disso, a banda — que também dentro no próprio cenário — é composta por 9 pessoas: Grazi Pizani, Marina Bastos, Cindy Borgani, Luis Rodrigues, Junior Kaboclo, Dessa Ferreira, Beto Lemos, Abhul Junior e Daniel Alfaro. Juntos, eles tocam, entre outros instrumentos, trompete, trombone, sax tenor, flauta, tuba, ganzá, chocalho, atabaque, cuíca e surdo.

A direção é de Duda Maia, com texto de Vitor Rocha e direção geral de Oliver Tibeau, Vitor Rocha e Luiza Porto. A direção musical fica a cargo da cantora Josyara, e Gui Leal entra como compositor e preparador vocal.


Processo criativo

Mundaréu de Mim surgiu a partir da intenção do IBT (Instituto Brasileiro de Teatro) de colocar na rua um projeto que fosse nacional, gratuito e acessível. Naturalmente, por terem suas carreiras de prestígio associadas a um olhar apurado ao “ser brasileiro”, Vitor Rocha e sua parceira de trabalho de longa data, Luiza Porto, iniciaram o trabalho ainda em 2022.

No mesmo ano, Duda Maia foi convidada para se juntar ao time de Mundaréu de Mim. Com o texto em mãos e conhecida pelo fazer teatral bem característico, sua entrada foi fundamental para a construção do espetáculo. Para ela, os atores e atrizes são quem escolhem seus personagens e não o contrário. Assim, fez um processo de audição com uma particularidade: todos fizeram seus testes sem saber nada sobre o espetáculo, como sinopse e personagens. Sabiam apenas seu título.


Durante algumas semanas, eles participaram de um workshop onde a diretora pôde avaliá-los de maneira técnica, conhecer suas histórias e observar as relações que iam sendo construídas diante de seus olhos. Com confiança em suas escolhas, a fim de criar um elenco conciso e unido, foram selecionados 18 atores e, assim, distribuído os papéis. Com um detalhe importantíssimo para a construção: eles só iriam descobrir e desvendar o enredo da peça juntos e ao longo dos ensaios.

Durante muitas semanas o elenco ia estudando frase por frase do texto, sem saber como ele terminaria. Assim, os atores construíram seus personagens de maneira muito particular, usando o corpo e a voz como instrumentos ainda mais potentes, com a possibilidade de brincar com seus personagens e sugerir alterações tanto no texto quanto na direção.

Dessa forma, Mundaréu de Mim se consagra não apenas como uma montagem nacional e original, mas também como algo único, feito em um coletivo para ilustrar as diferentes particularidades das pessoas e do país.




Vitor Rocha

Ator, produtor, diretor, letrista e roteirista. Eleito pela Forbes um Under 30, em 2019 entrou pra lista dos 90 jovens mais promissores e bem sucedidos do país. Escreveu, atuou e dirigiu “Cargas D'Água - Um Musical de Bolso”, seu primeiro trabalho, que lhe rendeu diversas indicações (além de ter sido montado em Londres no Off-West End e Nova York na Off-Off-Broadway) e também o consagrou como o primeiro autor a receber um Prêmio Bibi Ferreira, na categoria revelação. Em 2019, atuou no seu segundo musical, também de sua autoria: “Se Essa Lua Fosse Minha”, que recebeu quatro indicações ao Prêmio Bibi Ferreira, incluindo melhor musical brasileiro e melhor letra e música (categoria na qual foi vencedor ao lado de Elton Towersey). No mesmo ano em “O Mágico Di Ó - Um Clássico em Forma de Cordel”, assinou o texto, as letras e foi responsável por interpretar o personagem Osvaldo. Em 2021, mais uma vez numa jornada tripla, estreou seu trabalho mais recente, o musical “Bom Dia Sem Companhia”, dirigido por Alonso Barros. Por seus quatro primeiros trabalhos soma mais de 18 indicações e 4 prêmios de teatro em categorias distintas. O criador dos projetos sociais “Casusbelli" e "Pardalzinho” e fundador da Academia Jacutinguense de Letras, fará sua estreia no cinema como ator e roteirista no filme “O Mágico Di Ó”, produzido e dirigido por Pedro Vasconcelos.

Luiza Porto

Formada pela Escola de Atores INDAC, é atriz com uma diversidade de trabalhos em sua carreira como os espetáculos “Romeu e Julieta - De Almas sinceras a união sincera nada há o que impeça” como Julieta dirigido por Zé Henrique de Paula, “O Anjo de Pedra” como Nellie, dirigida por Nelson Baskerville, “Bom Dia Sem Companhia” dirigido por Alonso Barros, protagonizou a série “Experimentos Extraordinários” como Laura, é referência no trabalho de voz em projeto nacionais e internacionais como Sarada de “Boruto”, Tsyreia de ‘’Avatar 2”, Cassie de “Quantumania”, Doric de “Dungeons & Dragons”, Maria Cebola da “Turma da Mônica Jovem” e Faísca, a protagonista de“Elementos” da Pixar.

Oliver Tibeau

Co-Fundador e Diretor Executivo do Instituto Brasileiro de Teatro. Ator, produtor, assistente de direção e bacharel em Comunicação Visual pela faculdade SENAC. Iniciou sua carreira no teatro em 2005. Em 2008 integrou o CPT (Centro de Pesquisa Teatral) sob direção de Antunes Filho, onde permaneceu até 2009. Integrou o elenco de diversas produções teatrais em São Paulo, participando de eventos como Virada Cultural Paulista, Circuito Cultural Paulista e Circuito CEU. Em 2013 mudou-se para Nova York onde foi aluno bolsista no conservatório de atuação da renomada Atlantic Acting School. Foi professor assistente de Kelly Maurer e Anya Saffir, e depois especializou-se na Técnica Viewpoints na SITI Company. Integrou o elenco de montagens como Celia (Target Margin) e A Perfect Wedding (Atlantic). Em 2016, no Brasil, inicia sua carreira como assistente de direção em produções audiovisuais em renomadas produtoras brasileiras, como O2 Filmes, Rebolucion e Sentimental Filmes. Trabalhou em um vasto número de produções nacionais e internacionais como Embraer, Coca-Cola, iFood e Nestlé. Em 2019 estreou o espetáculo “Fábula e Roda dos Três Amigos”, onde interpretou o poeta espanhol Federico Garcia Lorca, sob direção de César Baptista no SESC Pinheiros. Em 2021 assume a direção de produção da Blackstone Media Production Co., liderando projetos para clientes como a BMW. Em 2022 torna-se co-fundador do IBT - Instituto Brasileiro de Teatro. É diretor de produção do espetáculo “O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá”, realizado pelo IBT em parceria com a Cia. Novelo. E atualmente é o diretor geral do espetáculo Mundaréu de Mim - que tem estreia prevista para outubro de 2023.

Gui Leal

Ator e músico, é Bacharel em música pela Universidade Cruzeiro do Sul, formado em regência coral pela Escola técnica Estadual de artes com especialização em condução de coro pela University of North Carolina - Chapel Hill e especializado em produção musical pela Berklee College of Music - Valencia. Como ator, foi Indicado ao prêmio Bibi Ferreira 2022 na categoria de melhor ator coadjuvante por Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate, esteve também nos espetáculos O Rei Leão, RENT, Castelo Rá-Tim-Bum o musical, Musical Popular Brasileiro, Natasha, Pierre e o grande cometa de 1812, Escola do Rock, Sweeney Todd, Evita Open Air, Once e atualmente faz parte do elenco de Uma Linda Mulher. Paralelo aos palcos é vocal coach e também dublador. Compositor e arranjador vocal de Mundaréu de Mim ao lado de Vitor Rocha e assinou a direção musical e arranjos do espetáculo “It’s me: Elton”.

Sobre a RICO

Irreverente e descomplicada, a Rico é uma das maiores plataformas de serviços financeiros do país e pertence ao grupo XP Inc. A empresa tem como objetivo ajudar as pessoas a investirem e organizarem sua vida financeira de forma simples. Com esse perfil, tornou-se referência no mercado financeiro brasileiro, oferecendo investimentos, cartão de crédito, conta digital, criptoativos, seguros e muito mais. Para mais informações, acesse ao site Rico: https://www.rico.com.vc/

Sobre o Instituto Brasileiro de Teatro (iBT)

Fundado em 2022, o Instituto Brasileiro de Teatro é uma organização sem fins lucrativos que visa gerar uma conexão entre a iniciativa privada, as produções teatrais e o público. Com o objetivo de popularizar o teatro no Brasil, o iBT quer levar o teatro a quem não teria acesso a ele, e a quem teria, garantindo acesso universal por meio de ingressos gratuitos ou a preços acessíveis.

O Instituto também apresenta uma série de ações voltadas à classe teatral, propondo uma governança que acelera a profissionalização de grupos e artistas, atuando desde a capacitação até no auxílio de realização de espetáculos, incluindo captação de investimentos do setor privado. Afinal, água e teatro não se negam a ninguém.

EQUIPE CRIATIVA COMPLETA

Diretora - Duda Maia

Autor, Dramaturgia, Letrista - Vitor Rocha

Direção Geral - Oliver Tibeau, Vitor Rocha e Luiza Porto

Direção musical - Josyara

Compositor e Preparador Vocal - Gui Leal

Assistente de Direção - Ágata Matos

Cenógrafo - Anderson Dias

Designer de Som - André Magalhães

Iluminadora - Danielle Meireles

Figurinista - Ellias Kaleb

Arranjador - Beto Lemos

Idealização - Elisa Volpato, Guto Portugal, José Aragão, Oliver Tibeau e Samya Pascotto


SERVIÇO :

MUNDARÉU DE MIM

Dia: De 06 a 29 de outubro

Sextas: 18h

Sábados e Domingos: 15h e 18h

Duração: 75 minutos

Local: Parque da Água Branca

Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 455, São Paulo, Brasil

Classificação etária: Livre

Capacidade por sessão: 3 mil pessoas

Ingressos: gratuitos, mediante disponibilidade de lugar

Comments


bottom of page