top of page
  • Foto do escritorCláudia Rolim

“João e Maria-Opereja” chega ao Rio com releitura de ópera alemã no contexto da cultura nordestina

No palco do Teatro EcoVilla Ri Happy jogos do folclore, danças típicas, atores cantando, ao vivo, xote, xaxado e baião, transportam a clássica história dos irmãos que se perdem na floresta, para a paisagem agreste brasileira. Depois de circular por Pernambuco, Bahia, Ceará e Minas Gerais, o espetáculo chega ao Rio.

Foto: Guto Muniz


De 08 a 16 de Junho, sábados e domingos, às 16h, no Teatro EcoVilla Ri Happy, “João e Maria – Opereja” realiza sua curta temporada carioca. O novo musical da Cyntilante Produções de Belo Horizonte pretende homenagear a cultura do sertão brasileiro no mês de celebração das festanças Juninas. Inspirada na ópera original “Hänsel und Gretel” do compositor alemão Engelbert Humperdinck, sobre a clássica história dos irmãos que se perdem na floresta, a releitura mineira ganha acento nordestino e sertanejo. Elementos do folclore e canções regionais cantadas ao vivo levam a criançada e os adultos à paisagem agreste. A direção artística é de Fernando Bustamante.

 

“É a primeira vez que adaptamos uma ópera. Normalmente bebemos diretamente nos clássicos da literatura. Portanto, diferentemente de um musical padrão, o espetáculo é cantado do início ao fim”, conta Fernando Bustamante, diretor artístico da Cyntilante Produções. 

 

A ideia inicial, lembra Bustamante, era que “João e Maria – Opereja” inaugurasse uma trilogia de óperas para criança, sendo seguida de “A flauta Mágica” e “Aida”. “Mas veio a pandemia e a gente teve que arquivar o projeto. É um alívio e uma alegria poder circular com o trabalho Brasil afora”, conta.

Foto: Thelmo Lins


Conto da tradição oral, com origem na idade média, e escrito pelos irmãos Grimm, João e Maria já ganhou diversas versões na literatura, no cinema e na ópera de Engelbert Humperdinck. “São poucas as montagens no Brasil, da ópera alemã, que é muito popular em países como Estados Unidos, Alemanha e Inglaterra, durante as festas natalinas”, diz Fernando. Na trama original, uma família, em momento de escassez de alimentos, abandona os filhos na floresta. Os dois irmãos são deixados pelo pai, um lenhador. Ao tentarem voltar para casa, as crianças acabam se perdendo, e se encontram com a famosa bruxa da casa de doces. 

 

Para recontar a história europeia dentro do universo e estética do sertanejo brasileiro, a cenografia foi toda confeccionada por materiais utilizados nos artesanatos nordestino e mineiro, como a juta, o vime e o sisal. Nos figurinos, aparecem elementos como bordados de renda e chita, em diversas tonalidades de terra. Segundo Fernando, os personagens da trama também ganham novas versões. “A bruxa é o Papa-Figo, a fada do Orvalho é a Comadre Fulozinha. O saci Pererê, os cangaceiros e bacuraus também habitam a caatinga, onde João e Maria se perdem quando vão colher Pequi para o jantar. Em vez de chocolate, a casa de doces é feita de tapioca, pé-de-moleque, bolo de rolo, cocada, doce de leite”, conta.

Foto: Guto Muniz


Os ritmos regionais ditam a atmosfera popular do musical. A partitura clássica original de Humperdinck foi transcrita para o xote, xaxado e baião. Na trilha, os instrumentos eruditos da orquestra, são substituídos pelo violão, rabeca, sanfona e zabumba. 

 

Fernando Bustamante destaca que “João e Maria - Opereja” retoma as primeiras adaptações da companhia, ligadas a temas da realidade brasileira. “Nossos últimos trabalhos foram releituras de contos universais, mas mantendo os elementos e tradições culturais de outros países. Nesta versão de João e Maria, assim como no original, mantivemos a ideia das dificuldades vivenciadas pela família relacionadas aos ciclos da natureza, mas desta vez, trazendo para o contexto da caatinga, seu período de escassez e de desafios para o povo sertanejo”, afirma. 

 

“João e Maria – Opereja” tem classificação indicativa de cinco anos e os ingressos a partir de R$ 19,50 estão disponíveis no Eventim. 

 

FICHA TÉCNICA :

Elenco: Thales Barbosa (João), Vivian Germano (Maria), Wagner Café (Pai), Tiago Colombini (Pai), Marinah Velasques (Mães), Thaís Coimbra (Mãe), Cauã Esteves (Papa-figo) e Maria Tereza Costa (Papa-figo)

Músicos: Max Hebert (Acordeon), Fernando Marinho (Rabeca), Alberto Magno (Baixo elétrico), Getúlio Prates (violão)

Adaptação, Direção Geral: Fernando Bustamante

Direção Musical e Arranjos: Marcelo Minal

Direção de elenco: Polyana Horta

Direção de movimento: Dani Cassimiro

Direção Vocal: Gabriel Muzzi

Cenário: Cynthia Bustamante

Figurino: Ricca Costumes

Maquiagem: Thereza Leon

Iluminação: Fernando Bustamante

Cenotécnicos: Dalva Mattiello, Helvécio Izabel  e Paulo Viana

Bonecos: Eduardo Félix

Assessoria: Julyana Caldas – JC Assessoria de Imprensa

 

SERVIÇO:

Espetáculo:  João e Maria - A Opereja

Local: Teatro EcoVilla Ri Happy

Endereço: R. Jardim Botânico, 1008 - Jardim Botânico, Rio de Janeiro 

Temporada:  08 a 16 de junho de 2024.

Sábados e Domingos, às 16h

Duração: 60 min.

Classificação: Livre (a partir de 5 anos)

Valores dos ingressos

R$ 80 (inteira) | R$ 40 (meia)

Setor promocional R$ 39 (inteira) | R$ 19,50 (meia)

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page