top of page
  • Foto do escritorLuiza Xavier

Filmes brasileiros inéditos em Portugal são exibidos em festival até 12 de maio

Considerado o maior evento do gênero, o Festival de Cinema Itinerante da Língua Portuguesa (FESTin) exibe 38 filmes, em Lisboa, até o próximo domingo, dia 12. A programação da 15ª edição da mostra inclui títulos consagrados pelo público, mas a proposta, segundo os organizadores, é também promover debates, diversidade, celebração e polêmicas saudáveis. A festa do cinema que fala português acontece em diversos espaços da capital portuguesa, como o Cine Turim, o Auditório Liceu Camões, o Cine Incrível e o Fórum Lisboa em “uma verdadeira ocupação cinematográfica”, como ressalta o material de divulgação


Entre os filmes brasileiros no FESTin, destacam-se: "Mamonas Assassinas – O Filme", dirigido por Edson Spinello, que fez sua estreia em Portugal; “Mussum”, dirigido por Silvio Guindane; “Mais Pesado é o Céu”, de Petrus Cariry; “Nada Será Como Antes - A Música do Clube da Esquina”, da diretora Ana Rieper; “As Polacas”, do diretor João Jardim e “Porto Príncipe”, de Maria Emília de Azevedo. Já na categoria internacional, os destaques são: “Afinador de Silêncios”, do diretor Mário Patrocínio (Portugal); “Joia” de Jonathan Samukange (Angola) e “A Luta de Nzinga”, de Eduardo Cunha Souza (Brasil/São Tomé e Príncipe), entre outros.  


Um grupo de onze mulheres brancas usando roupas do século 19.
'As polacas' é inspirado na história real das mulheres que chegaram ao Brasil vindas da Polônia em 1867. Crédito: Still

Sobre a jornada do FESTin, a diretora do festival, Léa Teixeira, destacou o legado sólido na promoção do cinema lusófono, no intercâmbio cultural e no desenvolvimento da indústria cinematográfica nos países de língua portuguesa. “O FESTin, ao longo de seus 15 anos de existência, criou um legado significativo na promoção do cinema lusófono e na interculturalidade entre os países de língua portuguesa, promovendo a cultura lusófona, tornando-se uma plataforma de difusão para cineastas e estimulando a circulação de produções dos países de língua portuguesa. Hoje, o festival é uma referência mundial nesse segmento tão importante para o cinema, e nosso objetivo é expandir cada vez mais, gerando oportunidade e reconhecimento para essas culturas”, ressaltou.


Já Adriana Niemeyer, também diretora do FESTin, falou sobre os avanços do festival, para estabelecer conexão com novos públicos e países. “Hoje temos um festival moderno, que acompanha o que há de mais necessário nos debates dentro do universo audiovisual. Além disso, estamos apenas levando o FESTin para o mundo digital e expandindo nossos horizontes geográficos. Esta edição irá se conectar - também no online - ainda mais com cineastas, artistas e entusiastas do cinema em todos os cantos dos países de língua portuguesa, promovendo uma verdadeira celebração da diversidade cultural”.


Programação diversificada reflete pluralidade de vozes e histórias


No FESTin, a cultura é a linguagem universal que conecta povos e promove a unidade, destacam os organizadores. “Ao reunir realizadores, artistas e amantes do cinema de língua portuguesa, torna-se um epicentro de experiências que fortalecem identidades e enriquecem a diversidade. A programação diversificada reflete a pluralidade de vozes e histórias que o FESTin abraça”, ressaltam.


Ator brasileiro Matheus Nachtergaele carrega um bebê em cena do filme Mais pesado que o céu.
'Mais pesado que o céu', com Matheus Nachtergaele, conta a história de um casal que acolhe um bebê abandonado. Crédito: Still

Por meio de filmes de ficção, documentários, curtas-metragens e animações, o festival dá visibilidade a narrativas muitas vezes marginalizadas, valorizando diferentes vozes, independentemente de origem, orientação sexual, etnia ou classe social.


Fortalecimento de laços culturais e intercâmbio entre países


Além disso, o evento conta com uma retrospectiva especial das edições anteriores, apresentando filmes marcantes que contribuíram para o sucesso do festival ao longo dos anos. O festival também tem o objetivo de fortalecer laços culturais e promover o intercâmbio entre países participantes através do Conexões FESTin, em colaboração com o Festival de Filmes Científicos (FeFICI), em formato online, consolidando sua posição como uma plataforma vital para a cooperação cultural entre os países de língua portuguesa.


A curadoria do FESTin seleciona obras que exploram a riqueza cultural dos países de língua portuguesa e abordam questões sociais pertinentes. Os filmes em destaque trazem à tona debates sobre direitos humanos, igualdade de gênero, racismo, imigração e meio ambiente. Ao se posicionar como um agente de transformação social, o FESTin promove a igualdade e equidade como pilares fundamentais.

Jovem ator negro do filme português Afinador de Silêncios, do diretor Mário Patrocínio. Crédito: Still
'Afinador de Silêncios', do diretor português Mário Patrocínio, conta a história do menino Mwanito. Crédito: Still

Ainda de acordo com o material de divulgação do evento, a representatividade e respeito a todas as culturas são valores intrínsecos do festival, impulsionando uma sociedade mais justa. “O poder da arte cinematográfica transcende barreiras, quebra preconceitos e instiga empatia, guiando-nos rumo a um mundo mais inclusivo e compassivo”, destacam os organizadores do FESTin.


Para celebrar seus 15 anos, o FESTin preparou uma programação especial, com estreias exclusivas e uma variedade de obras, desde longas-metragens de ficção e animação até documentários e curtas-metragens. Essa seleção pode ser conferida no site do evento


13 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Kommentare


bottom of page