top of page
  • Foto do escritorCláudia Rolim

Corrupção #SQÑ: uma leitura para entender a corrupção no Brasil

Atualizado: 3 de abr.

Corrupção #SQÑ é o relato vívido e intrínseco de casos indecorosos, sobre como, aproveitando-se de falhas em alguns processos internos de determinadas empresas, empregados e prestadores de serviços burlaram o sistema para cometer fraudes de somas vultosas. Os relatos aqui descritos estão sob a ótica de alguém que pôde estar presente dentro destas organizações e, em muitas vezes, foi o responsável pela condução dos trabalhos que levaram as empresas envolvidas a ter conhecimento de controles internos falhos ou ausentes. 


O autor do livro, Eder Carvalho Magalhães - Escritor, contador, advogado e mestre em administração pela PUC Minas e Fundação Dom Cabral e professor de cursos de MBA na PUC Minas. - conta que a inspiração para escrever a obra veio da preocupação em dar aula apresentando exemplos aos seus alunos. Dessa forma, com exemplos práticos, ele acredita que é mais fácil entrar na cabeça dos estudantes. “Eu ia contando casos e mais casos, e para não esquecer nenhum, tive a ideia de ir listando os casos para que eu não corresse o risco de acabar esquecendo algum deles. E fui listando, achei 20 casos. Coloquei apenas os títulos para eu me lembrar. Depois disso eu fui escrevendo cada um dos casos, eles foram se multiplicando porque eu ia me lembrando de outros até que totalizaram mais de 40. Depois disso, passava os casos para os alunos lerem e discutirmos na próxima aula. O negócio virou um alvoroço. As aulas enriqueceram bastante, debatemos por quase 2 horas em cada encontro. Os alunos amaram os casos. Daí para decidir escrever um livro foi um pulinho”, comenta. 



Ele ainda discorre sobre as principais dificuldades que teve durante o processo de construção do livro. “O principal desafio foi contar os casos sem expor pessoas e empresas. Alguns dos casos ficava muito fácil a pessoa identificar onde é que ele ocorreu porque as pessoas sabiam onde eu tinha trabalhado, poderiam concluir que era na empresa X. Eu não podia expor também meus clientes, já que alguns casos vinham dos clientes. E, por fim, tinham as pessoas envolvidas. Normalmente aquelas pessoas que fraudaram nunca foram meus amigos. A gente se aproxima de pessoas com valores próximos aos nossos. Com essas eu não me preocupava, mas tinham aquelas que foram enganadas e que de alguma forma, foram envolvidas nas fraudes, sem perceber. Eu tinha que zelar por elas”, afirma. 


Como prevenir a corrupção? 


O primeiro passo é se preocupar já na contratação. Colocar para dentro da empresa apenas pessoas do bem, que tenham valores que  são considerados correto. Um exemplo: exemplo? Se um marido agride a esposa, bate nos filhos, provavelmente ele não será um bom gestor. Se um cônjuge trai o seu parceiro, como é que ele pode ser um gestor confiável? Se ele trai o seu “sócio” na alegria e na tristeza, o que é que ele não fará dentro da empresa? Se uma pessoa fura fila, estaciona em local proibido, se bebe e dirige, se não avisa que o troco está errado, o que esperar dessa pessoa quando estiver diante de uma situação de estresse na empresa? Ela fará o errado, optará pelo menor esforço, por aquilo que lhe trará mais benefício.


“As empresas, os CNPJs, são formados por CPFs, por um tantão deles. Se tivermos CPFs do bem, teremos um CNPJ do bem, uma empresa promissora. Não dá para você fazer um bolo perfeito com ingredientes meia boca. Não posso ficar dizendo “a empresa vai pensar e fará isso”. Empresa, CNPJ, não pensa, não tem cérebro. Quem age correto e incorreto, quem gera riqueza e prejuízo são CPFs. Portanto, o meu maior foco nas palestras, nas aulas que eu ministro é chamar a atenção para a contratação de pessoas. Investindo em pessoas corretas teremos maior chance de sucesso”, conclui Eder.

6 visualizações

Yorumlar


bottom of page