top of page
  • Foto do escritorCláudia Rolim

A história do Hino Nacional Brasileiro

Hoje, 13 de Abril, comemora-se no Brasil o Dia do Hino Nacional.



A escolha desse dia é uma referência a uma manifestação que ocorreu nesta data em 1831, quando o ex-imperador do Brasil, D. Pedro I, embarcava para Portugal após ter abdicado do trono (em 07/04/1831) a favor de seu filho, D. Pedro e Alcântara – futuro D. Pedro II.


A abdicação de D. Pedro ocorreu em razão de pressões políticas internas e externas ao país. Muitos brasileiros, entre políticos, jornalistas e intelectuais, contrários a D. Pedro I e aos lusitanos partidários do imperador, vibraram com a sua abdicação. O maestro Francisco Manuel era um deles e compôs o hino para saudar o futuro que viria com o novo imperador.


O filho de D. Pedro I, Pedro de Alcântara, nascido no Rio de Janeiro, ainda era uma criança quando houve a abdicação. Foi necessária, portanto, a composição de um regime de governo que preparasse o terreno para o novo imperador. Esse regime ficou conhecido como Regência, ou Período Regencial.

Vale ressaltar que a canção que representa uma nação, como o Hino Nacional, exalta fatos acontecidos, simboliza todas as lutas passadas, carrega a identidade de um povo e a grande responsabilidade de ser o porta-voz da Nação para o restante do mundo!


O Hino Nacional Brasileiro faz parte dos quatro símbolos da República do Brasil, ou seja, a Bandeira, o Brasão e o Selo Nacional.  


A letra do Hino Nacional do Brasil foi escrita por Joaquim Osório Duque Estrada (1870 - 1927) e a música composta por Francisco Manuel da Silva (1795-1865). Tornou-se oficial no dia 1 de setembro de 1971, através da lei nº 5700.  




Letra do Hino Nacional Brasileiro

I

OUVIRAM DO IPIRANGA AS MARGENS

PLÁCIDAS

DE UM POVO HERÓICO O BRADO

RETUMBANTE,

E O SOL DA LIBERDADE, EM RAIOS FÚLGIDOS,

BRILHOU NO CÉU DA PÁTRIA NESSE INSTANTE.

SE O PENHOR DESSA IGUALDADE

CONSEGUIMOS CONQUISTAR COM BRAÇO

FORTE,

EM TEU SEIO, Ó LIBERDADE,

DESAFIA O NOSSO PEITO A PRÓPRIA MORTE!

 

Ó PÁTRIA AMADA,

IDOLATRADA,

SALVE! SALVE!

 

BRASIL, UM SONHO INTENSO, UM RAIO VÍVIDO

DE AMOR E DE ESPERANÇA À TERRA DESCE,

SE EM TEU FORMOSO CÉU, RISONHO E LÍMPIDO,

A IMAGEM DO CRUZEIRO RESPLANDECE.

GIGANTE PELA PRÓPRIA NATUREZA,

ÉS BELO, ÉS FORTE, IMPÁVIDO COLOSSO,

E O TEU FUTURO ESPELHA ESSA GRANDEZA.

TERRA ADORADA,

ENTRE OUTRAS MIL,

ÉS TU, BRASIL,

 

Ó PÁTRIA AMADA!

DOS FILHOS DESTE SOLO ÉS MÃE GENTIL,

PÁTRIA AMADA,

BRASIL!

 

II

DEITADO ETERNAMENTE EM BERÇO

ESPLÊNDIDO, AO SOM DO MAR E À LUZ DO CÉU PROFUNDO,

FULGURAS, Ó BRASIL, FLORÃO DA AMÉRICA,

ILUMINADO AO SOL DO NOVO MUNDO!

DO QUE A TERRA MAIS GARRIDA,

TEUS RISONHOS, LINDOS CAMPOS TÊM MAIS FLORES;

 "NOSSOS BOSQUES TEM MAIS VIDA,"

"NOSSA VIDA" NO TEU SEIO "MAIS AMORES".

 

Ó PÁTRIA AMADA,

IDOLATRADA,

SALVE! SALVE!.

BRASIL, DE AMOR ETERNO SEJA SÍMBOLO

O LÁBARO QUE OSTENTAS ESTRELADO,

E DIGA O VERDE-LOURO DESSA FLÂMULA

PAZ NO FUTURO E GLÓRIA NO PASSADO.

MAS, SE ERGUES DA JUSTIÇA A CLAVA FORTE,

 VERÁS QUE UM FILHO TEU NÃO FOGE À LUTA,

NEM TEME, QUEM TE ADORA, A PRÓPRIA

MORTE.

 

TERRA ADORADA,

ENTRE OUTRAS MIL,

ÉS TU, BRASIL,

Ó PÁTRIA AMADA!

DOS FILHOS DESTE SOLO ÉS MÃE GENTIL,

PÁTRIA AMADA,

BRASIL!

 

 

Comments


bottom of page